3. Mar de Algodão

Eu ouço o sopro do silêncio teu a me dizer
Eu ouço a pedra entalada na garganta sem dizer
Eu ouço a gota que dos galhos cai pro quintal
Eu só não vejo o que é tão claro
Num mar de algodão

Eu ouço o riso frágil do campo ao ver o Sol
E até mesmo um peixe gritar no anzol
Eu ouço o passo leve da pluma passear
Eu só não noto a diferença entre eles e nós
Devem ser os nós

De galho em galho sempre por cair
De galho em galho sempre

  • Letra e música:
    Ricardo Borges
  • Violão aço e voz:
    Ricardo Borges
  • Baixo fretless:
    Pedro Bagesteiro
  • Trombone:
    Hélio Abreu
  • Sintetizador:
    Diego Zanini
  • Percussão:
    Vagner Uberti

1. Ariana

2. Corda Bamba

3. Mar de Algodão

4. Translucidez

5. Lembrança

6. Inverso

← Voltar ao álbum